Em que situações o tradutor/intérprete é necessário?

Defesa de Lula deve arcar com custos de tradutor para suas testemunhas, diz Moro

Advogado do petista solicitou profissional 'com expertise na tradução da língua inglês para a língua portuguesa e vice-versa' para acompanhar as audiências de Jonathan Kellner e Juan Giraldez

Julia Affonso e Luiz Vassallo 14 Junho 2017 | 12h00

O juiz federal Sérgio Moro autorizou nesta terça-feira, 13, que a defesa do ex-presidente Lula use tradutor durante depoimento de duas testemunhas de defesa do petista. O magistrado, no entanto, afirmou que a defesa ‘deve providenciar a vinda de tradutor para Curitiba ou para São Paulo para realizar a tradução e arcar com os custos decorrentes’.

Na segunda-feira, 12, o advogado Cristiano Zanin Martins, que representa Lula, havia informado a Moro sobre a ‘imprescindibilidade’ de um profissional ‘com expertise na tradução da língua inglês para a língua portuguesa e vice-versa’ para acompanhar as audiências de Jonathan Kellner e Juan Giraldez.

Em que pese as referidas testemunhas residirem no Brasil, devendo possuir certo conhecimento de nosso idioma, é prudente que seja designado tradutor para acompanhar o ato. Considerando a complexidade dos temas abordados nesta ação penal, que envolvem uma terminologia técnica, impõe-se o dever de aferição precisa do significado dos termos trazidos pelas testemunhas ao conhecimento do Juízo”, requereu.

Moro decidiu. “Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva solicita tradutor para acompanhar as testemunhas Jonathan Kellner e Juan Giraldez. Defiro, mas, sendo prova de interesse da Defesa, deve ela providenciar a vinda de tradutor para Curitiba ou para São Paulo para realizar a tradução e arcar com os custos decorrentes.”

As duas testemunhas fazem parte de um rol de 87 convocadas pela defesa de Lula em ação penal sobre suposta propina da Odebrecht. Segundo a força-tarefa da Lava Jato, os valores ilícitos chegaram a R$ 75 milhões em oito contratos com a Petrobrás e incluíram terreno de R$ 12,5 milhões para Instituto Lula e cobertura vizinha à residência do petista em São Bernardo de R$ 504 mil.

(Fonte: Estadão)